Leitura do dia – Isaías 1 – 3

Isaías – Capítulo 1

1 Visão que Isaías, filho de Amoz, teve a respeito de Judá e Jerusalém durante os reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá.
2 Ouçam, ó céus! Escute, ó terra! Pois o Senhor falou: Criei filhos e os fiz crescer, mas eles se revoltaram contra mim.
3 O boi reconhece o seu dono, e o jumento conhece a manjedoura do seu proprietário, mas Israel nada sabe, o meu povo nada compreende.
4 Ah, nação pecadora, povo carregado de iniqüidade! Raça de malfeitores, filhos dados à corrupção! Abandonaram o Senhor, desprezaram o Santo de Israel e o rejeitaram.
5 Por que haveriam de continuar a ser castigados? Por que insistem na revolta? A cabeça toda está ferida, todo o coração está sofrendo.
6 Da sola do pé ao alto da cabeça não há nada são; somente machucados, vergões e ferimentos abertos, que não foram limpos nem enfaixados nem tratados com azeite.
7 A terra de vocês está devastada, suas cidades foram destruídas a fogo; os seus campos estão sendo tomados por estrangeiros, diante de vocês, e devastados como a ruína que eles costumam causar.
8 Só restou a cidade[1] de Sião como tenda numa vinha, como abrigo numa plantação de melões, como uma cidade sitiada.
9 Se o Senhor dos Exércitos não tivesse poupado alguns de nós, já estaríamos como Sodoma e semelhantes a Gomorra.
10 Governantes de Sodoma, ouçam a palavra do Senhor! Vocês, povo de Gomorra, escutem a instrução de nosso Deus!
11 “Para que me oferecem tantos sacrifícios?”, pergunta o Senhor. “Para mim, chega de holocaustos[2] de carneiros e da gordura de novilhos gordos. Não tenho nenhum prazer no sangue de novilhos, de cordeiros e de bodes!
12 Quando vocês vêm à minha presença, quem lhes pediu que pusessem os pés em meus átrios?
13 Parem de trazer ofertas inúteis! O incenso de vocês é repugnante para mim. Luas novas, sábados e reuniões! Não consigo suportar suas assembléias cheias de iniqüidade.
14 Suas festas da lua nova e suas festas fixas, eu as odeio. Tornaram-se um fardo para mim; não as suporto mais!
15 Quando vocês estenderem as mãos em oração, esconderei de vocês os meus olhos; mesmo que multiplique mas suas orações, não as escutarei! As suas mãos estão cheias de sangue!
16 Lavem-se! Limpem-se! Removam suas más obras para longe da minha vista! Parem de fazer o mal,
17 aprendam a fazer o bem! Busquem a justiça, acabem com a opressão. [3]Lutem pelos direitos do órfão, defendam a causa da viúva.
18 “Venham, vamos refletir juntos”, diz o Senhor. “Embora os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; embora sejam rubros como púrpura, como a lã se tornarão.
19 Se vocês estiverem dispostos a obedecer, comerão os melhores frutos desta terra;
20 mas, se resistirem e se rebelarem, serão devorados pela espada. Pois o Senhor é quem fala!
21 Vejam como a cidade fiel se tornou prostituta! Antes cheia de justiça e habitada pela retidão, agora está cheia de assassinos!
22 Sua prata tornou-se escória, seu licor ficou aguado.
23 Seus líderes são rebeldes, amigos de ladrões; todos eles amam o suborno e andam atrás de presentes. Eles não defendem os direitos do órfão, e não tomam conhecimento da causa da viúva.
24 Por isso o Soberano, o Senhor dos Exércitos, o Poderoso de Israel, anuncia: Ah! Derramarei minha ira sobre os meus adversário se me vingarei dos meus inimigos.
25 Voltarei minha mão contra você; tirarei toda a sua escória e removerei todas as suas impurezas.
26 Restaurarei os seus juízes como no passado, os seus conselheiros, como no princípio. Depois disso você será chamada cidade de retidão, cidade fiel.
27 Sião será redimida com justiça, com retidão os que se arrependerem.
28 Mas os rebeldes e os pecadores serão destruídos, e os que abandonam o Senhor perecerão.
29 Vocês se envergonharão dos carvalhos sagrados que tanto apreciam; ficarão decepcionados com os jardins sagrados que escolheram.
30 Vocês serão como um terebinto cujas folhas estão caindo, como um jardim sem água.
31 O poderoso se tornará como estopa, e sua obra como fagulha; ambos serão queimados juntos sem que ninguém apague o fogo.

Isaías – Capítulo 2

1 Foi isto que Isaías, filho de Amoz, viu a respeito de Judá e de Jerusalém:
2 Nos últimos dias o monte do templo do Senhor será estabelecido como o principal; será elevado acima das colinas, e todas as nações correrão para ele.
3 Virão muitos povos e dirão: “Venham, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó, para que ele nos ensine os seus caminhos, e assim andemos em suas veredas”. Pois a lei sairá de Sião, de Jerusalém virá a palavra do Senhor.
4 Ele julgará entre as nações e resolverá contendas de muitos povos. Eles farão de suas espadas arados, e de suas lanças, foices. Uma nação não mais pegará em armas para atacar outra nação, elas jamais tornarão a preparar-separa a guerra.
5 Venha, ó descendência de Jacó, andemos na luz do Senhor!
6 Certamente abandonaste o teu povo, os descendentes de Jacó, porque eles se encheram de superstições dos povos do leste, praticam adivinhações como os filisteus e fazem acordos com pagãos.
7 Sua terra está cheia de prata e ouro; seus tesouros são incontáveis. Sua terra está cheia de cavalos; seus carros não têm fim.
8 Sua terra está cheia de ídolos. Eles se inclinam diante da obradas suas mãos, diante do que os seus dedos fizeram.
9 Por isso a humanidade será abatida e o homem será humilhado; não os perdoes[4]!
10 Entre no meio das rochas, esconda-se no pó, por causa do terror que vem do Senhor e do esplendor da sua majestade!
11 Os olhos do arrogante serão humilhados e o orgulho dos homens será abatido; somente o Senhor será exaltado naquele dia.
12 O Senhor dos Exércitos tem um dia reservado para todos os orgulhosos e altivos, para tudo o que é exaltado, para que eles sejam humilhados;
13 para todos os cedros do Líbano, altos e altivos, e todos os carvalhos de Basã;
14 para todos os montes elevados e todas as colinas altas;
15 para toda torre imponente e todo muro fortificado;
16 para todo navio mercante[5]e todo barco de luxo.
17 A arrogância dos homens será abatida, e o seu orgulho será humilhado. Somente o Senhor será exaltado naquele dia,
18 e os ídolos desaparecerão por completo.
19 Os homens fugirão para as cavernas das rochas e para os buracos da terra, por causa do terror que vem do Senhor e do esplendor da sua majestade, quando ele se levantar para sacudir a terra.
20 Naquele dia os homens atirarão aos ratos e aos morcegos os ídolos de prata e os ídolos de ouro, que fizeram para adorar.
21 Fugirão para as cavernas das rochas e para as brechas dos penhascos, por causa do terror que vem do Senhor e do esplendor da sua majestade, quando ele se levantar para sacudir a terra.
22 Parem de confiar no homem, cuja vida não passa de um sopro em suas narinas. Que valor ele tem?

Isaías – Capítulo 3

1 Vejam! O Soberano, o Senhor dos Exércitos, logo irá retirar de Jerusalém e de Judá todo o seu sustento, tanto o suprimento de comida como o suprimento de água,
2 e também o herói e o guerreiro, o juiz e o profeta, o adivinho e a autoridade,
3 o capitão e o nobre, o conselheiro, o conhecedor de magia e o perito em maldições.
4 Porei jovens no governo; irresponsáveis dominarão.
5 O povo oprimirá a si mesmo: homem contra homem, cada um contra o seu próximo. O jovem se levantará contra o idoso, o desprezível contra o nobre.
6 Um homem agarrará seu irmão, um da família de seu pai, e lhe dirá: “Você pelo menos tem um manto; seja o nosso governante; assuma o poder sobre este monte de ruínas!”
7 Mas naquele dia ele exclamará: “Não tenho remédios, não há comida nem roupa em minha casa; não me nomeiem governante do povo”.
8 Jerusalém está em ruínas, e o povo de Judá está caído; suas palavras e suas ações são contra o Senhor, desafiando a sua presença gloriosa.
9 O jeito como olham testifica contra eles; eles mostram seu pecado como Sodoma, sem nada esconder. Ai deles! Pois trouxeram desgraça sobre si mesmos.
10 Digam aos justos que tudo lhes irá bem, pois comerão do fruto de suas ações.
11 Mas, ai dos ímpios! Tudo lhes irá mal! Terão a retribuição pelo que fizeram as suas mãos.
12 Meu povo é oprimido por uma criança; mulheres dominam sobre ele. Meu povo, os seus guias o enganam e o desviam do caminho.
13 O Senhor toma o seu lugar no tribunal; levanta-se para julgar os povos[6].
14 O Senhor entra em juízo contra as autoridades e contra os líderes do seu povo. Vocês arruinaram a vinha, e o que foi roubado dos necessitados está nas suas casas.
15 Que pretendem vocês, ao esmagarem o meu povo, e ao moerem o rosto dos ne­cessitados? Quem pergunta é o Senhor, o Senhor dos Exércitos.
16 O Senhor diz: Por causa da arrogância das mulheres de Sião, que caminham de cabeça erguida, flertando com os olhos, desfilando com passos curtos, com enfeites tinindo em seus calcanhares,
17 o Senhor rapará a cabeçadas mulheres de Sião; o Senhor porá a descoberto as suas vergonhas.
18 Naquele dia o Senhor arrancará os enfeites delas: as pulseiras, as testeiras e os colares;
19 os pendentes, os braceletes e os véus,
20 os enfeites de cabeça, as correntinhas de tornozelo, os cintos, os talismãs e os amu­letos;
21 os anéis e os enfeites para o nariz;
22 as roupas caras, as capas, as mantilhas, e as bolsas;
23 os espelhos, as roupas de linho, as tiaras e os xales.
24 Em vez de perfume haverá mau cheiro, em vez de cintos, corda, em vez de belos penteados, calvície, em vez de roupas finas, vestes de lamento, em vez de beleza, cicatrizes.
25 Seus homens cairão ao fio da espada; seus guerreiros morrerão no combate.
26 As portas de Sião se lamentarão e prantearão por causa disso; e, sem nada, a cidade se assentará no chão.